Translate

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Entrevista com a autora Giovana Taveira

Projeto Abrace um Autor Nacional.

Hoje trazemos a Giovana Taveira, autora do fantástico livro Entre Will & Vodka (aguardem resenha) em uma entrevista. Acompanhem:



1- Qual é a sua inspiração na hora de escrever? Já se inspirou em outros autores para escrever?

Eu sou observadora, então quase tudo me inspira, mesmo as coisas ruins. Minha inspiração vem ao questionar o tipo de coisa que gostaria de ler. Fico me perguntando se o que estou escrevendo me agradaria se eu fosse o leitor. Sim, eu frequentemente me inspiro em autores e na forma como eles conduzem a escrita, passando uma mensagem complexa por um texto simples.

2- Cite três escritores nacionais e três internacionais que você admira. Que livro e autor você acha que todos deveriam ler pelo menos uma vez na vida?

Nacionais há vários, mas vou citar minhas amigas de escrita Natalia Saj, Cássia Carducci e Emanuelle de Almeida.
De internacionais, eu gosto bastante de Bukowski, Rupi Kaur e Emily Brönte.
Acho que todos deveriam ler Clube da Luta, de Chuck Palahniuk.

3- O que você acha de seus leitores?

Acho que são as pessoas mais incríveis e gentis do mundo, e não penso isso só por lerem o que escrevo, mas porque eles deram chance a uma pessoa desconhecida, eles gastam seu tempo com algo que eu escrevi, e me mandam mensagens dizendo o que acharam. Eles me deram oportunidades. Se isso não for ser incrível e gentil, então não sei o que é.

4- Qual foi o livro que te fez entrar no mundo da leitura?

O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Bronte. Foi quando percebi que podia ler o que eu quisesse, sem ter a obrigação de fazer resumos ou provas escolares. Só por prazer. 

5 - Você tem inspiração ou ajuda de outros autores para escrever?

Com certeza, tenho vários amigos nesse meio, e eles me ajudam o tempo todo. Leem cenas para ver se ficou real, se está passando a mensagem, estruturação de roteiro... Nos ajudamos em várias coisas. E, sim, além da inspiração de grandes escritores, me inspiro na vida dos meus amigos, no caminho que eles fizeram para chegar onde estão e na própria superação do dia a dia. Cada um me inspira de um jeito diferente e me dá forças.

6 - Você já se inspirou em alguma música ou banda para escrever?

Sim, faço isso o tempo todo. Tenho uma playlist para cada história.

7 - Você teve alguma dificuldade para publicar seu livro?

Tive, e ainda tenho depois que foi publicado. Acho que as dificuldades nunca acabam, porque quando não são as da escrita, próprias da criação, são as relacionadas ao processo de publicar e a divulgação. É uma luta todo dia.

8 - Como você lida com comentários negativos sobre seus livros?

Por enquanto ainda não tive nenhum, só comentários bacanas e incentivadores. Mas acho que mesmo as críticas ruins, quando fundamentadas, nos ensinam alguma coisa.

9 - Se eu fosse para uma ilha deserta eu levaria...

Meu computador e vários livros.

10 - Qual o seu livro preferido na atualidade?

No momento estou apaixonada por Outros Jeitos de Usar a Boca, da Rupi Kaur, e O Que o Sol Faz Com as Flores, da mesma autora. É de uma delicadeza e profundidade, que me deixaram com ressaca.

11- Qual seu maior sonho como escritor(a)?

Conseguir viver disso, mas se não conseguir, que meus livros toquem a maior quantidade de pessoas possível.

12 - Como é a sensação de saber que as pessoas leem seu livro? E postam foto nas redes sociais e comentam sobre ele com os amigos e familiares?

É muito bom saber que tem gente lendo, comentando e falando sobre ele. É uma sensação boa ao saber que as pessoas gostaram o bastante para recomendar aos amigos e postar nas redes sociais. Acho que isso significa que tiveram uma boa leitura, então me sinto muito feliz com cada postagem ou arte que eles me mandam. Uma vontade enorme de abraçar cada um e agradecer.

13 - O que te inspirou, qual foi a sua experiência ao escrever o seu livro.? Como surgiram os personagens? Você se inspirou em alguma pessoa que você conhece?

Em Entre Will & Vodka fui inspirada por coisas que observei no cotidiano e no próprio mundo literário. Escrever algo delicado, buscando tocar em tudo o que as pessoas têm em comum e mostrar que um relacionamento é construído por reciprocidade foi algo muito peculiar. Ao mesmo tempo que tive medo de romantizar alguma coisa errada e não atingir o objetivo, isso me dava forças para me manter firme na linha de narração. As personagens geralmente surgem sozinhas na minha cabeça, elas mesmas se constroem, não busco inspiração em pessoas próximas, mas sempre acabo incluindo algo que observo, é inevitável.

14 – Se o seu livro virasse um filme, qual seria a música que o representaria?


Acho que I Hate U, I Love U, do Gnash feat. Olivia O’Brien se encaixaria bem.


Muito obrigada novamente Giovana, você deseja falar mais alguma coisa para os leitores e seguidores de Para Gostar de Ler e Para Gostar de Ler Brasil?

Eu que agradeço pela oportunidade. Gostaria de agradecer também a cada leitor e o carinho que recebo de todos. Obrigada mesmo, de coração. Vocês fazem tudo valer a pena.


sexta-feira, 8 de junho de 2018

Apoiando a literatura nacional #3 - Francélia Pereira





Novo Vídeo no canal: Artemísia, a guerreira de
Habitantes do Cosmos - LN​, da autora Francélia Pereira​.
Inscrevam-se no canal e deixem seu joinha!
Não reparem na cara, pessoal. Eu to meio dodói!


Sinopse:

Após uma grande catástrofe na Terra, os humanos tiveram que migrar pelo Sistema Solar, que ficou conhecido como Sistema Apolo. O ano da catástrofe se tornou o ano zero, pois marcou a nova contagem do tempo.

No século XVI desse novo tempo nasce, em Vênus, uma menina destinada a ser uma grande guerreira, mas ela nasceu no Clã, a última sociedade patriarcal de Apolo e, aos dez anos, ela viu seu destino mudar radicalmente.
Conheça toda a história de Artemísia, a guerreira mais temida de Apolo.


quinta-feira, 7 de junho de 2018

Um Anjo entre os Escombros, in Sentimentos e Sentenças: Primeiras impressões.

Primeiras Impressões 

Conto Um Anjo entre os Escombros (Sentimentos e sentenças - conto 1)

Autor: Kelvin Henique
Editora Sekhmet


O conto Um Anjo entre os Escombros é parte do livro Sentimentos e Sentenças, do autor Kelvin Henrique, e conta a história de Harry e Helena, doi sobreviventes de uma queda de meteoro que devastou o Brasil e causou a perda das famílias de ambos.
Num cenário apocalíptico, os dois se apaixonam e Harry, mesmo se sentindo culpado, decide viver esse sentimento.

Como toda história com esse cenário, essa me deixou angustiada. Tenho a imaginação muito fértil e sei que tais catástrofes podem e vão acontecer. Não hoje, não agora, mas isso não me impede de ficar pensando. Esse conto teve o poder de aprofundar mais ainda o sentimento de brevidade que tenho dentro de mim já faz algum tempo. A vida é tão frágil, tão estupidamente efêmera, que não tenho, hoje em dia, dado tanta importância a meros detalhes. Kelvin colocou em um momento o que não percebemos a vida toda: que somos pateticamente passageiros.
Gostei do conto, pois gosto do que me angustia e me faz pensar. Gostaria de ler o livro inteiro, se possível. Essa transitoriedade do ser humano, transmitida em um conto, e seu desespero em viver cada segundo que lhes foi dado como uma dádiva, torna a noção de eternidade cada vez mais impossível de ser compreendida e, ao mesmo temo, a possibilidade de vivê-la entra em nossas mentes como o ar que respiramos sem notar.
Acredito que valerá a pena ler o livro completo.


domingo, 3 de junho de 2018

A Makir Edições lança o exemplar físico de AS RECOMPENSAS DO PECADO.

Lançamento.

A Makir Edições anunciou para julho o lançamento do exemplar físico do livro As Recompensas do Pecado, de Rita Flôres.
O livro, que já vinha alcançando um alto índice de vendas na Amazon, já está em pré venda o site da Editora, por enquanto.

Confiram a sinopse e o booktrailer:


"Fillippo estava sem saída: ou se casa com a filha do sócio de seu pai ou permite que um agiota o mate por conta de dívidas de jogo. Ele se rende, mas promete nunca ser o marido ideal. Bem, ele pensa assim até conhecer a linda Dahllett, uma garota cheia de traumas, mas voluntariosa e decidida a tornar a vida de Fillippo um inferno. O que ambos não esperam é a atração entre eles, um desejo que os atormenta e os faz repensar toda aquela situação dolorosa."
  



domingo, 27 de maio de 2018

Pirados


Pirados (Perfeitamente Bagunçados)
Autora: Camila Martins
Chiado Editora
Gênero: Young Adult
Páginas: 450

Sinopse:


 "Barbara sabe que não é normal. Ela reconhece que sua possessividade a impede de muitas coisas. Apesar disso, ela conta com uma melhor amiga, Nanda, que desde a infância a acompanha e a ama como uma irmã. .
O tempo passa e tudo parecia tranquilo, até ressurgir um certo alguém do passado:
Eduardo que convive, desde que se entende por gente, com um transtorno obsessivo por organização. Ele gosta de ver tudo em seus devidos lugares e confere até os milímetros. Ele quer melhorar, quer ser menos problemático, mais inteiro e tem na bagagem uma vida solitária, apesar de nunca ter ficado só.
Ela quer tudo pra si. Ele quer tudo em seu lugar. Eles têm pendências que vêm da época da escola. O destino os reúne em um elevador. O que podemos esperar desse reencontro?"

O que dizer sobre esse livro? É um livro focado na doçura, no amor, em experiências que ensinam e trazem alegria.
O casal foco é Bárbara e Eduardo. Ela, possessiva; ele, um carinha obsessivo no que se refere à organização, que surta quando suas coisas não estão no lugar. Ele é um vendedor de eletrodomésticos que foi casado por cinco anos, mas se separou; Ela trabalha com telemarketing e já estava se preparando par ser uma solteirona (nesse ponto eu e Bárbara somos parecidas, haha). Eles se reencontram (Eduardo foi um carinha que Bárbara beijou no ensino médio, na verdade, o único) quando ele vai buscar um apartamento no prédio onde ela mora. E a maluca lhe aplica um teste para ver se ele pode morar ali. O doido aceita e as manias e loucuras os unem.
Tem a melhor amiga, a Nanda, que se tornou “propriedade” da Bárbara aos dez anos de idade, mas conheceu Fabrício, que aceita essa “possessividade” de Bárbara e, imaginem, se casa com Nanda.
Tem a família do Marra (Eduardo Marra), que se “abraça o tempo todo”, o que não é muito comum pra Bárbara.
Bem, o livro é escrito em primeira pessoa e isso me incomodou, pois não gosto de livros escritos dessa forma, o que não quer dizer que não os leia. Mas, como sempre, deixei de lado o que me desagrada para focar na história, que é o que importa. Há uma doçura, candura, exageradas. Todo mundo parece ser perfeito, família fofa, amizades que tudo suportam. Não há, se a gente for analisar a fundo, adversidade a não ser as manias dos dois protagonistas, o que, para muitos, já é diferença suficiente para trazer obstáculos ao relacionamento. O que posso dizer é que é um livro feliz, para todos os que gostariam apenas de ter um bom momento com uma história “tranquila”. Acho bom que haja um livro assim para as pessoas esquecerem um pouco as pelejas diárias, descansem a mente.
É uma obra recomendável, pois não tem nada que possa ferir alguém (pelo menos em minha concepção), mas pode tranquilizar, arrebatar.  Ah, e curtam as músicas! Tem um lance muito legal que envolve músicas e nacionais! Meu conselho? Leiam e curtam. Vale a pena.

Compre aqui!